Follow by Email

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Depois da bonança, vem a tempestade


Parecia estar tudo a correr tão bem. A palavra União - uma das minhas predilectas - parecia estar em vantagem. Um íman une-se a outro, desde que numa posição... desta vez, os pedaços de íman, estavam desorganizados.
Se a União faz a força, a Desunião faz a fraqueza.

No meio desta confusão, e num gesto de fraqueza, resolvi levar um cão abandonado para casa, para cuidar dele. Hoje, saí mais cedo do emprego, para ir com ele ao veterinário, mas, ao chegar a casa, deparei-me com um cenário pouco animador: cortinas rasgadas, o móvel de rádio dos meus avós arranhado, a coberta do sofá com uma espécie de rendas, etc. Tive de tomar uma decisão drástica: arranjar a quem dar o cão. O senhor veio cá buscá-lo, quási à porta de casa, e levou-o - penso - que para os lados de São João da Talha. Lá ficará, até que lhe arranjem um dono. Mas, se estiver muito doente, entregam-no ao canil municipal. Não me parecia assim tão doente. Tenho fé que encontre um bom lar para ser feliz. Em todo o caso, não tenciono procurar pelo bicho, pois não quero receber nenhuma notícia desagradável.

Vou parar por aqui, pois não digo coisa com coisa....

Até dias melhores, se Deus quiser.

2 comentários:

Maria disse...

Filho:
Tomaste a resolução certa. Agora é tentares ser um pouquinho menos impulsivo. Pensa bem, antes de fazer alguma coisa. Agora é andar para a frente.
O canito irá estar bem.
Fica tu também, que eu preciso muito de ti.
Beijinho.
Mãe

Anónimo disse...

Corvo,
O Julião teve sorte por teres tropeçado no caminho dele. Ele vai ficar bem certamente.
Deus escreve direito por linhas tortas. Já pensaste nisso? Ele arranjou maneira de cuidar do Julião, passando por tua casa, e deixando alguns estragos, para te rires daqui a algum tempo. Não acredito que Ele nos castigue por não comermos a sopa. Eu acredito num Deus, que não é o dos padres, nem um Deus castigador, mas sim um Tio Deus bem disposto, com sentido de humor, e que nos ajuda a ir resolvendo os problemas, cada um a seu tempo.
A minha admiração por ti não diminuiu um milímetro.
Beijo grande de saudades
Nemy