Follow by Email

sábado, 22 de novembro de 2008

Lisboa Natalícia - Rua do Carmo


Mais um ano, e as belas e artísticas luzes de Natal, ocuparam as principais ruas da Capital. Esta foto que aqui se vê, tem cerca de uma semana e mostra a Rua do Carmo, vista da extremidade junto ao Rossio.

Por outro lado, estes enfeites iluminam as diferenças de classes sociais: de uma parte, mostram o vasto movimento das pessoas que procuram, nas perfumarias, nas sapatarias, lojas de roupa – tudo de marca, ou quasi tudo – presentes para oferecer no Natal. Esta manifestação de consumismo é uma verdadeira afronta para a outra face que estas luzes realçam: a pobreza extrema – pessoas sem casa, a viver encostadas a paredes, à entrada de prédios, até dentro de bancos! (Aqueles bancos que têm a secção de multibanco aberta durante a noite). Além dos sem-abrigo, vemos pessoas de aspecto doente e pobre, idosos com aspecto de miséria, etc..

Aqui há uns anos, um membro do Governo de outro país, veio cá a Lisboa e comentou, sem qualquer maldade: Portugal é um país que encara a miséria com naturalidade. Todos ficaram muito ofendidos. O Sr. estrangeiro disse alguma mentira?!

Ainda falta algum tempo, mas... bom Natal para aqueles que puderem!

3 comentários:

Anónimo disse...

Corvo:
Gostei muito deste post. Mais uma vez, vejo que, os valores que te foram ensinados, não estão esquecidos. Se nada mais fiz de bom na vida, pelo menos, deixo três filhos bem formados. Eu e o pai, claro.
Beijos, cheinhos de orgulho da
Mãe

Anónimo disse...

Vasco,
A tua Mãe e o teu Pai têm todos os motivos para estarem orgulhosos de ti.
Também eu me sinto orgulhosa por te ter como Amigo, preocupado com as injustiças que infelizmente grassam nesta sociedade em que vivemos. Pertences àquele grupo de pessoas a que o Dr. Fernando Nobre se refere no seu livro "Gritos contra a Indiferença"
São jovens como tu, que fazem com que tenha fé num futuro melhor.
Bem hajas! Um beijo amigo
Nemy

Anónimo disse...

Corvo:
Todos os dias aqui venho, para ver se já chegaste ao Rossio. Puro engano. Continuas parado na rua do Carmo. Vê se andas mais um bocadinho, porque está muito frio para estar a ver as luzinhas.
Beijo e grasna lá,
Maria