Follow by Email

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Ladrões de Toponímia

Vai já sendo comum, nos nossos dias, irmos à procura de uma determinada rua e, ao olharmos para o sítio onde deveria estar a chave para a nossa dúvida, não encontrarmos a resposta.
Aconteceram-me já várias situações idênticas em lugares muito variados deste país – desde Lisboa e arredores, Tomar, etc..
Ontem ia a passar na Rua da Prata, quando uma luz indicativa de uma farmácia me chamou a atenção, e desviei os olhos para cima. Pouco mais alto dessa luz, havia algo mais escuro: uma marca de uma placa toponímica da Rua da Prata, que terá residido nessa parede várias décadas, e que supostamente foi arrancada por algum coleccionador de placas.

Caia-lhe uma na cabeça, para ver se tem mais juízo e não causa mais distúrbios!

4 comentários:

Anónimo disse...

Corvo:
Não contaste a mais macabra de todas as histórias. Essa, foi das tais coincidências, coincidentes, como diria alguém que conheci. Acho que é de contar.
Beijo.
Maria

Corvo disse...

Maria,

Irei contar essa macabra, como dizes, e muito bem, mas depois de ter a certeza de que tudo está resolvido.
Enquanto não estiver resolvido, prefiro manter o silêncio.

Beijos e continuação de melhoras.

carla mar disse...

Deve dar uma trabalheira, roubar uma coisa dessas...

Um beijinho, para ti :)

Anónimo disse...

Sempre atento e pertinente.
Saudades
Nemy