Follow by Email

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Como prevenir a falta de pontaria


Por ter visto um post recente do Kim - autor do Blogue "Às vezes, Fim de Semana" - aproveitei para colocar esta imagem de um anúncio bem à portuguesa que acho valer a pena partilhar.
As "regras de utilização da pia" estão na casa de banho de um café na Aldeia do Candal, Serra da Lousã.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Cão como nós


Continua a fazer-me certa confusão considerarem apenas o Ser Humano como animal racional. Alguns animais (sem ser o Ser Humano) também pensam; são perspicazes, aprendem, mostram afectividade, são brincalhões, etc..
É o caso do Nabão, este canito que aqui aparece na foto.
Mas para além do que aqui referi, o seu processo de envelhecimento tem também sido parecido com os das pessoas. Ele faz parte da família. Como é dos meus pais (embora também o considere meu), por vezes refiro-me a ele de brincadeira, como "o meu irmão mais novo".
Neste momento, padece de vários males, entre os quais, o fígado dilatado, o estômago inflamado, artroses nas patas traseiras que o dificultam a andar. Tem dores e sofre como nós.
E, embora não esteja lá em casa, tenho a impressão que o telefone tem tocado mais vezes para se saber do seu estado de saúde. Isso normalmente acontece entre pessoas.

Mas ele é um cão como nós, parafraseando Manuel Alegre.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Corvos em Coimbra


Apenas uma imagem. Não são precisas palavras.
Aqui vai uma foto captada com uma máquina ainda de rolo, há pouco mais de uma semana.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Laços de Sangue e parecenças




Este post que aqui segue não será, certamente, de grande interesse para muita gente. Mas estou certo que quem lhe puder achar algum, o lerá.

Até há bem pouco tempo, a pessoa chegada de família que tinha atingido idade mais avançada, tinha sido a minha bisavó Alda.
A minha tia-avó, sua filha - que fui visitar na semana passada - já a ultrapassou. Não fosse um AVC que teve há quatro anos, estaria muito melhor. Mas o propósito do que aqui escrevo (desta vez não vai para a gaveta), é a sua grande parecença física (e até psíquica) em relação à mãe.

Mas isto não fica por aqui - E O QUE PODE SER CURIOSO PARA MAIS PESSOAS: É que a Maria (sobrinha e afilhada), quando tiver mais uns anos, vai parecer uma fotocópia. Gestos e tudo.

Só uma coisa não se parece com a afilhada: é que com os seus 98 anos e 8 meses, ainda gosta do seu copinho de vinho tinto, que bebe com gosto.
No Domingo sentou-se à mesa no quintal, rodeada das suas duas filhas, e um filho, mais o genro, dois netos e um sobrinho-neto. Habituada de pequena a ter a família junta, a obidense estava contente, via-se no seu rosto.
Aguentou o almoço longo que terminou perto das cinco da tarde, sem adormecer. Ali, sempre a fazer-nos companhia.

Ainda lhe estive a mostrar velhas fotos digitalizadas no computador, mostrando atenção especial para as pessoas de quem mais gostava.

É uma pessoa cuja vida não foi muito fácil, tendo-lhe "pregado" algumas partidas, mas foi sempre muito lutadora, como ainda hoje se verifica pela sua enorme resistência e teimosia. Quando não quer uma coisa, não vale a pena insistir.

E nós por aqui, até qualquer dia, se Deus quiser e eu me apetecer escrever.