Follow by Email

domingo, 26 de outubro de 2008

Um almoço à maneira

Já há três ou quatro dias, andava a "desafiar" os meus pais a virem almoçar à minha "barraca". Ainda com incertezas diziam-me que depois se via.
Entretanto, apanhei uma "carraspana" de constipação misturada com uma crise de sinusite, e na sexta obtive a confirmação de que vinham mesmo aos meus aposentos, sendo que traziam o Nabão. A minha mãe disse-me para não me preocupar com o almoço, pois o trazia.

Ora o Nabão é um cão que se habituou, durante a maior parte da sua vida a ver-me viver na mesma casa que ele. De repente, saí eu, saíram alguns móveis, mas vou lá frequentemente.
Pergunto-me: o que é que se teria passado naquela cabeça canina, ao ver-me noutros domínios, e depois, correr os corredores todos, sala, quartos, cozinha, etc.? Cheirou os móveis que conhecera na casa dele. Mas estava alegre!

Quanto ao cozido, foi só cortar aos bocadinhos os enchidos e os pedaços de carne.

Este almoço já estava divinal, e regado por um tinto Foral de Évora de 2003, rematado por umas tacinhas de ovos moles de Aveiro. ainda melhor foi! Como o café é obrigatório para evitar o sono provocado pelos comeres mais pesados, ainda apreciamos uma mistura de 60% de robustas com 40% de arábicas, moído na altura.

7 comentários:

Anónimo disse...

Sr. Corvo:
Eu, Nabão, acho que, qualquer dia vou ter que ter um Blog, para responder a tanta conversa a meu respeito. Sou um cão de classe, mesmo sendo rafeiro e, estou farto que falem de mim, sem ter direito de resposta. Assim a partir de hoje, quando falarem de mim, eu ladro ou rosno, conforme o caso.
Lambidelas.
Nabão

carla mar disse...

Vasco:

Um dia destes, tens que postar a receita dos ovos moles!

Beijinho meu :)

Vasco disse...

Então, aqui vai a receita dos Ovos Moles de Aveiro, retirada do livro "Arte de Bem Comer", por Alinanda - um livro de 1933, que pertenceu à minha Avó Milaide:

Ingredientes:

24 gemas de ovos;
500 gramas de açucar;
2 decilitros de água;
Canela Q. B.;

Modo de preparação:

Mistura-se muito bem o açucar com a água, e leva-se ao lume, mexendo sempre com uma colher de pau (nova ou pouco usada), deixando ferver até ficar em ponto de pasta.
Deixa-se arrefecer um pouco e juntam-se as gemas, já levemente mexidas com um pouco de canela.
Leva-se de novo ao lume (fraco), mexendo sempre com a colher de pau. Assim que atinja a consistência desejada, retira-se do lume e deita-se onde se deseja servir.

Espero que tu e os teus filhos gostem!

Beijo.

carla mar disse...

Obrigada, Vasco :)
Vou fazer, para sobremesa, no domingo...
Depois, conto-te, como ficou.

Beijokinha :)

Vasco disse...

Sr. Nabão,

Quando vossa excelência, o cão de classe, quiser dispensar aqueles reles hotéis onde tem ficado quando os donos estiverem fora, poderá vir para a casa deste (também) dono, que até já conhece.

Na minha opinião, aquela expressão "é mais conhecido que o cão amarelo", deveria ser substituída por "é mais conhecido que o Nabão" - embora seja difícil.

Festinhas para o Senhor Dom Nabão S M A C.

Anónimo disse...

Assim, sim. Já me estão tratando como gente.
Nabão

Anónimo disse...

Não há nada como um almoço em família.
E então se for preparado pela mãezinha...