Follow by Email

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Lisboa Subterrânea


Já começaram as diligências necessárias para que daqui a um ano se possa percorrer algumas galerias do Aqueduto das águas livres, nos espaços subterrâneos.


Esta iniciativa, originada por um protocolo entre a Câmara Municipal de Lisboa e a Empresa Portuguesa de Águas Livres, vai tornar possível, por exemplo, atravessar desde o Jardim do Príncipe Real, até ao Largo de São Carlos, sendo que esse caminho passa por baixo do Miradouro de São Pedro de Alcântara – recentemente reabilitado. Entre essas diligências, está a iluminação eléctrica e a segurança.



Para os mais curiosos da “Lisboa Subterrânea”, o Canal de História vai divulgar uma série de 12 episódios de curta metragem, sobre locais históricos, intilulada “Lisboa debaixo de terra”. Estes documentários terão início em 10 de Novembro, e serão transmitidos às segundas-feiras, pelas 21 horas.

9 comentários:

Anónimo disse...

Corvo:
Vamos a ver o que vão encontrar, nos subterrâneos do Aqueduto. Ao que consta, Diogo Alves e sus muchachos, faziam deles, armazém dos roubos, que praticavam. Além disso, é bom que, quem tem medo de fantasmas, tenha cuidado, não vá ele ainda lá andar.
"Yo no me creo en bruxas, mas qué las ay, ay".
Por isso, todo o cuidado é pouco.
Beijo
Maria

Gonçalo disse...

E a propósito de Lisboa subterranea comemoram-se em 2009 os 50 anos do Metropolitano.

Anónimo disse...

Continuando a falar de Lisboa Subterrânea, e como isto tem muito a ver com o tópico principal e pode encontrar-se lá coisas maravilhosas, de quando datarão as primeiras sarjetas da Capital? Seria giro pôr uma sonda a filmar as galerias e corredores desses túneis e ver os ratos que por lá existem!

O Fala-Barato.

Vasco disse...

Minha Maria,

Como referi no texto publicado, as passagens subterrâneas que vão ser abertas ao público vão ter iluminação e segurança. Ora, segundo dizem, parece que os fantasmas não gostam muito de luz; além disso, com os seguranças, o fantasma do Diogo Alves é capaz de ir roubar para outro lado...


Aproveito para pedir delicadamente ao Senhor "Fala-Barato" e tornar perceptível a quem visite este blogue, que dispenso esse tipo de comentários.
Há muita variedade de blogues humorísticos.
Não quero com isto dizer que se não possa dar uma piada, mas tudo tem limites! Os subterrâneos são seculares e têm história, que deve ser respeitada!

Vasco disse...

Obrigado pela sugestão, Gonçalo.

Oportunamente, irei falar da história do Metropolitano de Lisboa.
Um Abraço.

Kim disse...

Visitar a Lisboa Subterrânea é um dos passeios que há muitos anos desejo fazer. Até agora tendo sido uma visita complicada porque há imensa gente inscrita para a visita. Na Rua da Conceição há uma descida (entrada) por onde se inicia a visita, mas tal só acontece uma vez por ano.
Não vou perder o programa.
Um abraço Vasco

Vasco disse...

Kim, conheço esse sítio. Já lá fui há uns anos, e é um local digno de ser visitado.
Não o quero desanimar, até porque -como já disse - vale a pena a visita, mas antes de lá ir esperava encontrar algo maior.

Ao que tenho ouvido falar, só abre uma ou duas vezes ao ano, e, antes de ser aberto ao público, os Bombeiros retiram a água desse local.
Como sabe, por baixo da Cidade, passam cursos de águas por muitos lados.

O Bicho disse...

Há alguns desses locais de Lisboa (além do Aqueduto das Amoreiras) subterrânea que se podem visitar, desde há uns tempos:
A Cisterna Patriarcal (no Principe Real) e a sua ligação à Mãe de Água da Praça da Alegria.

António Costa disse...

Podem visitar tambem os subterraneos da camara municipal de lisboa!