Follow by Email

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Hospital de Arroios


Começo por dizer que foi a última vez que disse que “para a próxima vou falar disto”. Prometi que falaria sobre o Hospital de Arroios. Enquanto não o fiz, também não quis colocar mais posts. Só agora escrevo porque precisei conferir alguns dados.

A ideia de falar sobre o Hospital de Arroios, surgiu quando, aqui há tempos, passei lá em frente e deparei-me com o estado miserável em que se encontra.


A História (resumida) do Hospital de Arroios

O chamado Convento de Nossa Senhora da Conceição de Arroios foi edificado no ano de 1705, com o apoio da filha de D. João IV, D. Catarina de Bragança e de D. Luísa de Gusmão e foi utilizado para formação de Jesuítas até 1755. Chamava-se na altura Colégio de São Jorge de Arroios.
Após a expulsão dos Jesuítas, em 1759, foi ocupado por freiras franciscanas, ficando então conhecido como Convento de Nossa Senhora da Conceição de Arroios.
Com a morte da última freira, em 1890, o convento ficou devoluto até 1892, ano em que o Estado decidiu que o convento passasse a ser utilizado como hospital, tendo acontecido, mas sob a administração do Hospital de S. José, e como hospital de isolamento para doentes de peste bubónica, cólera, varíola, lepra, tuberculose, etc..
Em 1898, passou a chamar-se Hospital Rainha D. Amélia, tratando exclusivamente de casos de tuberculose.
Só em 1911 tomou o nome de Hospital de Arroios.
Em 1993 fechou portas, e encontra-se devoluto até à presente data.
Contudo, a Igreja do convento ainda funciona.

Sobre o fecho do Hospital, pouco consegui apurar, mas houve um projecto urbanístico para o antigo Hospital de Arroios, que foi recentemente declarado nulo, por os edifícios projectados terem mais dois pisos que o permitido para aquela zona.

7 comentários:

Maria disse...

Meu Corvo
Esta D. Catarina de Bragança foi rainha de Inglaterra. Levou como dote, Bombaim e Tanger, diz-se que terá sido ela, que levou o chá, o doce de laranja e os talheres. Os ingleses não gostavam dela, mas os americanos, colónia dos ingleses, deram o nome de Queen's. Viveu alguns anos em Ingaterra, regressando a Portugal, onde morreu.
Ficas a saber, quem foi a fundadora do Conento de Nossa Senhora da Conceição, onde morreu.
Está sepultada em S.Vicente de Fora.
Gostei do post.
Beijinho
Mãe

Maria disse...

Só agora reparei, que deixei uma frase incompleta.
Seria: Deram o nime de Queens's a um dos cinco bairros de Nova Iorque. No meio de uma praça, está uma estátua da dita senhora, que me parece ter sido oferecida por emigrantes.
Beijo
Mãe

Corvo disse...

És um poço de sabedoria. Acho que vou desistir de vir com estas cantilenas. É quasi caso para dizer que, quando ainda vou com o trigo, já tu vais com a farinha.

Cristina disse...

Boa Tarde,
Vi que tinha um post sobre o Dr. Gaspar Antunes. O meu pai conheceu o Dr. Antunes, a filha e a esposa em Cabo Verde, tendo-se reencontrado em Vila Nova de Seles. Porém o contacto foi perdido após o seu regresso a Lisboa. É com pena que, no seu blog, o meu pai teve a notícia da morte do Dr. Antunes. Contudo, resta a esperança de obter o contacto da esposa, Íldia, ou filha, Aniete (diminutivo). Será possível fornecer-nos esse contacto? Poderá contactar-me para kristinex@gmail.com. Atentamente. Ana Cristina Silva.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Sóninha Totósa disse...

Boa tarde.Eu vi o seu blog porque estou a pesquisar se existe algum lugar onde guardem os arquivos deste hospital,pois eu procuro o meu pai que era cardiologista nesse hospital em 1985 mas que infelizmente a vida nos separou.se souber algo por favor me envie um email para
SamaraCristinaAnubisS2@Hotmail.com
obrigado

Sonia Silva disse...

Boa tarde.Eu vi o seu blog porque estou a pesquisar se existe algum lugar onde guardem os arquivos deste hospital,pois eu procuro o meu pai que era cardiologista nesse hospital em 1985 mas que infelizmente a vida nos separou.se souber algo por favor me envie um email para
SamaraCristinaAnubisS2@Hotmail.com
obrigado